A opinião pública se coloca contra a poluição plástica e o material está enfrentando o peso da culpa pela atual crise ambiental. As imagens impactantes da vida marinha dividindo seus habitats com garrafas, sacolas e outros produtos plásticos são um dos principais motivos para que existam pedidos para proibir completamente o material. Não há como negar que a demanda do consumidor e nossa atitude em relação ao descarte de materiais precisam mudar, mas a proibição de todos os tipos de plástico é simplesmente inviável.

Essas opiniões não estão totalmente equivocadas. Das 6.300 milhões de toneladas métricas de plástico criadas desde 1950, quase 80% acabaram em aterros sanitários ou nos oceanos. A questão é que, em nossas vidas modernas, o plástico é abundante e não existe uma solução simples. Os plásticos aparecem constantemente no nosso cotidiano, e as pessoas podem não perceber o quanto elas dependem desse material. O plástico é usado para fabricar capacetes, assentos para crianças e airbags. Ele está nos telefones celulares, televisores, computadores e nos equipamentos eletrônicos que possibilitam a vida moderna. 

O plástico possibilita ainda muitas coisas que as pessoas não reconhecem como plástico – como tintas, revestimentos de proteção, adesivos e colas, selantes e isolamento. Alguns plásticos têm aditivos que os tornam resistentes a bactérias ou fogo. Existem dezenas de milhares – ou mais – de diferentes tipos de plásticos e formulações. Com a visão de que todos os plásticos são ruins ganhando força, é fácil esquecer as muitas vantagens dos plásticos; e a enorme quantidade de aplicações que ele tem. Ao invés disso, deveríamos focar no uso inadequado de plástico e na forma de descartar o produto.

A utilidade e os benefícios do plástico

Plásticos fortes, leves e moldáveis ​​são usados ​​em milhares de produtos que agregam conforto, conveniência e segurança às nossas vidas cotidianas. Plásticos estão em tapetes, cobertores e travesseiros. O plástico em dispositivos eletrônicos portáteis permite acessar a Internet ou nos comunicar com familiares e amigos em qualquer lugar. Plásticos nos coletes à prova de balas dos policiais os mantêm vivos.

As embalagens plásticas

O peso leve, a resistência e a capacidade do plástico de ser moldado em qualquer forma o tornam o material para embalagens ideal. Os alimentos permanecem frescos por mais tempo quando embalados em plástico, o que reduz o desperdício, reduz a quantidade de alimentos estragados que devem ser descartados e diminui a quantidade de conservantes necessários para manter os alimentos frescos. Os avanços na tecnologia plástica tornaram as embalagens plásticas mais eficientes: o peso médio das embalagens de um produto foi reduzido em mais de 28% na última década. As embalagens de plástico são mais convenientes para os consumidores: o plástico transparente permite que os compradores vejam o item que estão comprando e a embalagem de plástico é fácil de abrir. 

As embalagens plásticas protegem alimentos, medicamentos, e outros produtos de contaminação e germes quando exibidos e manuseados. O material é à prova de quebra, o que reduz o potencial de lesões por itens quebrados.

Plásticos e o transporte

Como o plástico é leve e durável, ele é o material ideal para a fabricação de carros, caminhões e outros veículos. Os plásticos representam 10% do peso total de um veículo novo e mais de 50% do seu volume. Volantes, revestimentos das portas e componentes estéreos todos feitos de plástico, assim como as peças menos visíveis, como os componentes do motor.

Para cada 10% de redução de peso, um carro ou caminhão economiza de 5% a 7% no uso de combustível. A redução no peso do veículo se traduz em uma redução nas emissões de dióxido de carbono. Os plásticos também tornam os veículos mais seguros e confortáveis. Os cintos de segurança e os airbags que salvam vidas são feitos de plástico. Bombas de plástico acolchoadas, esquadrias de portas, inserções de painéis de portas de espuma, suportes de teto cheios de espuma de plástico e pilares são componentes estruturais que mantêm os ocupantes mais seguros durante um acidente. As características internas dos veículos, como tapetes, geralmente são feitas de plástico PET reciclado.

Os plásticos e a eficiência energética

Os plásticos tornam as casas mais eficientes em termos de energia. Selantes podem vedar vazamentos de janelas. Folhas de plástico transparente para janelas melhoram o isolamento e diminuem as correntes de ar no inverno. Persianas plásticas e cortinas ajudam a isolar as janelas e a manter a casa mais fresca. Muitas marcas de lâmpadas LED de alta eficiência são feitas de plástico reciclado. O isolamento de plástico nas paredes, pisos e telhado de sua casa mantém uma temperatura confortável, o que economiza energia e dinheiro em aquecimento e resfriamento. 

Plásticos em Esportes

O plástico é usado em muitos esportes para aumentar a eficiência e a segurança dos atletas. Os capacetes feitos de policarbonato moldado com estofamento de espuma de plástico no interior reduzem ferimentos na cabeça e concussões. Os protetores bucais reduzem a lesão nos dentes, mandíbula e boca durante colisões e as almofadas de espuma de plástico protegem os ombros, quadris, cóccix, joelhos e coxas dos jogadores. Os jogadores de futebol jogam com uma bola de espuma plástica e uma rede de polipropileno e usam caneleiras de espuma, luvas de goleiro de espuma de látex e chuteiras leves. 

Plásticos na Medicina

Os plásticos aumentam a eficiência e a higiene dos medicamentos. Seringas e tubos de plástico são descartáveis ​​para reduzir a transmissão de doenças. As bolsas plásticas de sangue, fluidos e remédios por via intravenosa permitem que os profissionais de saúde visualizem com mais facilidade as dosagens e as necessidades de reposição. As válvulas cardíacas de plástico e as articulações do joelho e do quadril salvam vidas e tornam a vida dos pacientes mais confortável. As próteses plásticas ajudam os amputados a recuperar a função do membro e melhorar sua qualidade de vida. Cateteres e balões de plástico permitem que os médicos abram vasos sanguíneos bloqueados e insiram suportes de vasos plásticos para mantê-los abertos e dissolver depósitos nocivos. Além de lentes de óculos de plástico, lentes de contato e armações de óculos, os plásticos ajudam as vítimas de lesões oculares ou doenças a ver novamente: córneas artificiais de silicone podem restaurar a visão dos pacientes. Os aparelhos auditivos de plástico moldado ajudam as pessoas com perda auditiva a participar plenamente das conversas novamente.

Plásticos em Eletrônicos

A força, o baixo peso e a maleabilidade do plástico revolucionaram a eletrônica. Cabos e cordões de plástico estão em tudo, desde computadores a trituradores de papel. O isolamento de plástico para cabos e equipamentos elétricos mantém o equipamento fresco e protege os usuários contra superaquecimento. Os eletrodomésticos usam plástico para torná-los leves. Os plásticos cristalinos líquidos nos televisores de tela LCD economizam energia, usando menos energia do que as telas tradicionais de tubos de raios catódicos. As telas sensíveis ao toque de telefones celulares, computadores e outros eletrônicos são feitas de filme de policarbonato. Os minúsculos microfones nos telefones celulares são feitos de polímeros para sua resistência a choques. 

Usar outro material muitas vezes não compensa

Um dos plásticos mais presentes na nossa vida é o poliuretano. É o terceiro plástico mais utilizado no mundo. Os poliuretanos podem ser encontrados nos adesivos que prendem as partes dos nossos sapatos, nos painéis de espuma rígida que isolam nossas casas (conseguem reduzir a perda de calor em até 60%) e nos revestimentos de pisos e veículos. Os benefícios multifacetados do poliuretano o tornam o material de escolha para muitas aplicações.

Se considerarmos somente o processo de produção de poliuretanos, podemos acreditar que o uso de produtos naturais e biodegradáveis ​​é a transição óbvia. No entanto, substituir um isolamento de poliuretano por um material como fibra de vidro de cortiça ou lã mineral, na verdade exigiria o dobro do material para fornecer o mesmo nível de isolamento. Isso sem nem considerar a a tensão que a produção dessas alternativas naturais tem sobre os recursos agrícolas.

Mas e se pudéssemos encontrar uma matéria-prima alternativa?

E se o carbono pudesse ser utilizado? Graças aos desenvolvimentos na ciência, já é possível usar o CO2 como matéria-prima na produção de plásticos. Isso reduz significativamente o impacto ambiental do material. É possível produzir poliuretano usando CO2 como matéria-prima em escala industrial. Várias indústrias estão tomando medidas para reduzir sua pegada de carbono no mundo, e a indústria de plásticos também pode seguir o exemplo.

A adoção de CO2 como matéria-prima é uma situação em que todos saem ganhando: para cada tonelada de epóxido substituída por CO2, três toneladas de CO2 seriam evitadas ou utilizadas. Os polióis usando CO2, estão se tornando cada vez mais o foco de várias empresas que buscam reduzir seu impacto na Terra. 

Possíveis soluções

É errado apontar um dedo acusador para os fabricantes de plásticos e exigir que o plástico seja totalmente eliminado.  Em vez de boicotar o plástico, as pessoas devem favorecer o consumo inteligente e o pensamento sobre o ciclo de vida. Evitar o uso único é um passo na direção certa, mas é vital também desenvolver a reciclagem de plástico. Além disso, devemos investigar cuidadosamente os efeitos da substituição potencial do plástico por outros materiais, porque existe o perigo de aumentar as emissões de carbono na fabricação destes outros materiais. 

Reciclar e reduzir o impacto

Não há dúvida de que a crise do plástico é um problema sério e que precisamos incentivar uma mudança de atitude em relação à mentalidade de uso único da sociedade. Mas precisamos ter em mente os benefícios ambientais e econômicos que os plásticos oferecem e usar a inovação para encontrar uma solução. Ao adaptar a maneira como o plástico é produzido para se tornar mais ecológico, podemos ajudar a reduzir o impacto desse material essencial no planeta. O ideal é no futuro todo plástico seja reciclado em uma escala maior, permitindo que os materiais adequados à reciclagem sejam reutilizados repetidamente. Já existem oportunidades de reciclagem e, em teoria, tudo é possível.