O plástico é um dos pilares da vida moderna. O planeta se beneficia de sua versatilidade e leveza. Itens importantes do nosso cotidiano como óculos, capacetes de moto e bicicleta, celulares, roupas e sapatos – todos esses produtos se tornam mais duráveis ​​e leves, graças aos plásticos.  Se esse material compõe tintas, os acabamentos dos móveis, os eletrodomésticos, esfoliantes de pele, resinas dentárias, seringas, entre tantos outros produtos, é fácil entender por que é tão complicado dizer que é possível zerar o consumo dele.

Mas afinal, qual a solução para reduzir a quantidade de lixo plástico? Apesar de possuir muitas qualidades, o plástico é hoje um dos grandes poluidores do planeta. A Ocean Conservancy estima que já existem 150 milhões de toneladas métricas de plástico nos mares agora. E as pessoas continuam adicionando mais 8 milhões de toneladas métricas de plástico ao oceano a cada ano.

Os plásticos e a sustentabilidade

Mas não seria mais fácil então simplesmente reduzir o uso do plástico? Não é tão simples. São as embalagens de plástico, por exemplo, que prolongam a validade dos alimentos e ajudam a transportar mais alimentos e entregar produtos frescos a milhões de pessoas. O baixo peso do material plástico ajuda a reduzir os custos de transporte. Os benefícios para o ambiente também estão relacionados com a presença de itens plásticos dentro dos veículos de hoje. Foi o uso destes materiais leves e duráveis que permitiu que os veículos se tornassem mais eficientes em termos de combustível, emitissem menos dióxido de carbono e fossem mais seguros e confortáveis ​.

Mas então, o que podemos fazer? 

Recicle o que você puder

Mesmo nos países ricos, as taxas de reciclagem são muito baixas. Globalmente, apenas 18% de todo o plástico é reciclado. A Europa consegue administrar 30% (porém, temos que levar em consideração que grande parte do lixo europeu está sendo enviado para outros países), a China chega a 25% e os Estados Unidos apenas 9%.

Descarte corretamente

Depois que consumiu o produto feito de plástico, caso não seja possível reutilizar ou reciclar, é preciso descartá-lo corretamente. Tome todas as precauções para que o seu lixo plástico não escape para o meio ambiente. Separe os itens por tipos de material e coloque o seu lixo plástico na coleta seletiva.  Se seu bairro ou cidade ainda não tem coleta seletiva, tente garantir que seu lixo tenha um destino correto. Em último caso, garanta que ele chegue a um aterro sanitário, onde ao menos não causará danos. 

Pare de desperdiçar matéria prima

Três quartos dessa poluição são resíduos não coletados, enquanto o restante vem de falhas dos atuais sistemas de coleta e reciclagem. Este desperdício está colocando peso tremendo na vida aquática. Muitas espécies de peixes, por exemplo, se alimentam desses resíduos plásticos porque os confundem com comida de verdade. 

Procure soluções inovadoras

Um problema global como este precisa de ideias inovadoras, parceiros e colaboração aberta. Produtores, consumidores e governos devem desempenhar um papel em busca de soluções.

É necessário encontrar formas melhores de capturar e reutilizar nossos resíduos plásticos. Precisamos de melhores práticas de coleta e gerenciamento de resíduos terrestres. Isto ajuda a interromper o fluxo de lixo nas vias navegáveis.

Invista em educação Somente a educação pode aumentar a conscientização e provocar uma verdadeira mudança de comportamento. É importante saber que só a educação do consumidor pode incentivar conceito de economia circular e demonstrar o poder de resultado desta colaboração.

Aproveite a oportunidade de crescimento 

A melhor oportunidade para realmente enfrentar esse problema a longo prazo é aplicar os princípios de uma economia circular que valoriza o desperdício de plástico pelo que é: uma oportunidade de crescimento adicional. Circulando os plásticos de volta ao fluxo de fabricação e reutilizando-os em novas aplicações, podemos criar um modelo de reciclagem mais sustentável e valioso. 

Empreendedores precisam pensar em soluções que possam demonstrar o enorme valor agregado dos plásticos. A partir disso os investidores institucionais podem escalar estes projetos de uma maneira que ofereça benefícios ao meio ambiente, mas ao mesmo tempo, traga um retorno financeiro significativo.

Cobre seu governo

Também podemos exigir novos compromissos de agências governamentais para ajudar a fornecer os subsídios, empréstimos e investimentos de capital necessários para ter sucesso com esses esforços.